Comendo a cunhada virgem

Havia casado a pouco tempo um ano talvez, minha cunhadinha Luana veio morar com a gente, ela uma moreninha clara cabelos longos chegando quase a bundinha que de passagem era a bunda mais linda que já havia visto redondinha, e empinada dava a impressão de que se colocasse um copo parava ali sem cair, bom continuando, os seio como de qualquer menina em seus 16 para 17 anos durinhos e redondinhos, quais não tinha como deixar de percebê-los, o dia estava chuvoso eu e minha cunhadinha e mais uma amiguinha dela estava brincando no chão da sala, a amiguinha dela Dani não deixava nada a perder para minha cunhadinha, pois também era linda, estávamos fazendo cócegas um no outro e rolando pelo chão, no fervor da brincadeira acabei enchendo a mão num dos peitinhos durinho da Luana (minha cunhadinha), nossa que sensação sentir ele durinho na minha mão, ela na hora percebeu, mas só me olhou com um sorrisinho e nada disse, bom ai me encorajei e comecei a aproveitar a chance e corria a mão pelos peitinhos a todo momento, como estava ficando com meu pau duro e minha cunhadinha já havia notado isso pois a poucos havia colocado a mão em cima dele e me olhou com um sorrisinho maroto, parei a brincadeira e fui para a cozinha, estourar pipoca.
Até a noite nada de interessante aconteceu a amiguinha da Luana, a Dani foi embora e como estava chovendo minha esposa pediu para que a levasse ate o ponto de ônibus, pois ela iria posar na casa da sua mãe, na hora pensei que ira todos para lá, qual foi minha surpresa a Luana disse estar indisposta e não iria a casa de sua mãe, minha esposa deu algumas recomendações a ela e pegou nossa filhinha de 1 ano, então a levei para embarcar, na volta para casa, passei em um mercado onde comprei alguns mantimentos para fazer alguns lanches.
Quando cheguei a casa vi minha cunhadinha no sofá parecia estar diferente, mais animada e sapeca como se estivesse aprontando alguma, e para minha alegria estava mesmo, fui a cozinha deixar as coisas que havia comprado voltei passando pela sala sem falar nada e fui ao quarto onde troquei a Roupa colocando somente um short e deitei para assistir TV, logo Luana veio e deitou a meu lado e ficou vendo o que estava passando eu nem estava prestando atenção em TV, sem avisar Luana pegou minha mão e colocou em seus lindos peitinhos dizendo, – agora você pode pegar neles. Não me fiz de rogado e enchi a mão naqueles montinhos durinhos e redondinhos, peguei no biquinho e o flexionei, ela deu um gemidinho e apertou minha mão nisso e ergui sua blusinha deixando a mostra seus lindos seios já que ela não usava sutiã, eu estava em um frenesi só, tremia de tanta excitação cheguei à boca próxima a um daqueles lindos peitinhos e passei a língua no mamilo e chupei ele com tanta vontade que quase coloquei o seio todo dentro de minha boca, fui subindo a beijando seu pescoço e cheguei a sua boca coloque meus lábios no de Luana, quais estavam macios de tanta tesão, passei a ponta de minha língua na sua e ela retribuiu, chupei a sua língua e voltei novamente aos seios e fui descendo ate seu umbiguinho onde enfiei a língua, desci ate a divisa de seu shortinho, sempre passando a língua e dando beijinhos, puxei o shorts um pouco para baixo deixando aparecer os pequenos pelinhos de sua xaninha, onde passei a língua naqueles pentelhos, retirando de vês seu shortinhos deixando qual veio a luz uma xaninha mais linda de pentelhos ainda novinhos e macios com as mãos separei sua pernas ela meio que não quis deixar envergonhada mas eu a incentivei, assim ela deixou aquela coisinha mais linda de bucetinha rosadinha ainda com apenas uma penugen nascendo, fui descendo com a língua do seu umbigo ate seu grelinho, ela nunca tinha sentido tamanho prazer seu corpo tremia todo ela dava gritinhos e sua barriguinha ofegava para cima e para baixo com cada chupada que eu dava em seu grelinho que parecia um dentinho de alho, Luana não sabia o que fazer com as mão me agarrava com tanta força que seus dedos ficavam brancos, fui subindo novamente sempre lambendo seu corpo o umbigo as curvas dos seios e os mamilos novamente chegando a sua boca, retirei os restos de roupas que ela usava e também meu short, não deixei que ela visse meu pinto, com medo que se assustasse e não levasse adiante o que estava preste a acontecer,pois tenho um pinto que não querendo se gabar tem 19 cm, e Grosso, perfeito só meio curvo, bem pouco para a esquerda, acho que resultado de anos de masturbação, comecei a passar a cabeça do pinto em sua xaninha qual era tão macia que quase gozei só de fazer isso, quando senti que a cabeça do pinto estava bem molhada comecei um movimento de vai e vem bem, só com a cabeça do pinto, arrancando dela gemidos cada vez mais fortes, quando tentei ir mais fundo ela se contorceu e deu um gritinho, eu com medo de machucá-la e como não tinha nenhuma pressa, voltei a beijá-la e chupar seus peitinhos retornando ao começo, agora fui mais findo chupando sua bucetinha, pois ela estava mais solta e com muito mais excitação, enfiei a língua dentro daquela bucetinha o Maximo que pude, desci ate o cuzinho rosadinho e pensei a língua ela deu um gritinho como se sentisse cócegas, dei uma cusparada de esfreguei a língua voltando para a bucetinha com o dedo fui massageando o cuzinho já lubrificado, ela nem ligou apenas se ajeito melhor para receber meu dedo em seu cuzinho, o qual enfiei ele alargando seu anelzinho, deitei puxando ela para cima de mim e meu pinto ficou bem na entrada de sua xaninha voltei a colocar a cabeça e forçar mas senti novamente a resistência do seu cabaçinho, então aprumei a cabeça na portinha de seu cuzinho e ela foi soltando o peso de seu corpo a cabeça entrou mais foi só isso ela não quis descer mais mesmo eu tentando enfiar meu pau todo naquele cuzinho mas não ia, após varia tentativas, falei a ela para esperar um pouco fui ate a geladeira e peguei um pote de margarina sem sal, que estava La e voltei, tirei uma dedada e comecei a esfregar em sua bundinha, ela estava de costa para mim aquela bundinha arrebitada me proporcionava uma visão que fazia meu coração disparar, eu massageando aquela bundinha, quantas punhetas havia batido imaginando isso, com o dedo fui passando margarina em seu anelzinho até que pude colocar 3 dedos juntos, ai retirei os dedos e apontei a cabeça de meu pinto já cheio de margarina naquele cuzinho, E fui forçando a cabeça passou e senti que fez ate um barulhinho a passar pelo anelzinho do cú, fui forçando e o pau foi entrando cada vez mais até sentir que as bolas estavam encostando-se àquela bundinha comecei um vai e vem e ela gemia e se contorcia de prazer e excitação, coloquei minha mão por baixo e fui massageando o seu clitóris, e ela recebendo meu pinto inteiro dentro de seu cuzinho e eu lhe fazendo carinhos na xaninha estremeceu toda e deu um gemendo sentindo algo que nunca havia sentido, quando percebi que ela estava gozando também soltei todo meu esperma dentro daquele cuzinho, sentindo que o mundo poderia acabar naquele momento que eu nem notaria, então ficamos alguns minutos ainda engatados, ate que deitamos um ao lado do outro sorrindo de tanto prazer, fui ao banheiro acompanhado por minha linda cunhadinha nuazinha para tomar um banho e repor as energias, porque a noite era só uma criança e estava apenas começando.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.