Meu irmão me comeu gostoso

Eu e meu irmão sempre dividimos o quarto na casa onde morávamos com nossos pais. Ele, 1 ano e meio mais velho que eu, me iniciou em muitos conhecimentos sexuais mesmo antes de eu ter transado pela primeira vez. Um deles foi o pornô.
Por dividirmos o quarto, peguei ele muitas vezes batendo punheta, e em muitas dessas vezes eu fazia de propósito só pra ver ele pelado. Na nossa cama beliche, era comum ouvir ele batendo punheta enquanto eu fingia estar dormindo. Aquilo sempre me excitou muito e eu fantasiava e chegava a sonhar que estava transando com ele.

 

Na adolescência, ele passou a me pegar pelada no quarto várias vezes e eu achava que era sem querer. Como sempre houve desejo da minha parte, eu sempre provoquei usando roupas curtas pela casa e que marcassem meus peitos com piercing e minha bucetinha, e eu notei que ele percebia e desejava.
Um dia, estávamos assistindo um filme brasileiro cheio de cenas eróticas e excitantes, e eu comecei a ficar molhada e minha buceta implorava pra ser comida. Fiquei tão excitada que passou a ser desconfortável, já que eu não podia matar esse desejo. Virei pro lado, de bunda pra ele, numa tentativa de tentar dormir pra parar de ver cenas que eu não podia reproduzir.

Sexshop

Passado um tempo, ele achou que eu estava dormindo e eu ouvi o barulho da bermuda dele abrindo e uma punheta começou ali, do meu lado. Aquilo me deixou louca, e eu não imaginava que o desejo fosse tão recíproco assim… Até que começo a sentir a mão dele na minha bucetinha por cima da roupa enquanto ele se masturbava. Sem me mexer, minha buceta começa a umedecer e ele sente. Com as pernas dobradas, em posição fetal, ele tem dificuldade de colocar meu pijama pro lado, mas assim que toca minha buceta meladinha ele começa a gemer e eu fico transtornada e começo a gemer baixinho também. Vendo que a investida foi positiva, ele esfrega a cabeça do pau e começa a forçar a entrada da buceta e desliza facilmente pra dentro. Nesse momento eu escuto um urro e começo a gemer mais alto. Ouvindo meu gemido com o pau gostoso que eu sempre desejei entrando e saindo da minha bucetinha, ele começa a me xingar:

– Essa pica tá gostosa, sua putinha? Que buceta gostosa que a minha irmãzinha tem.
– Tá gostosa sim, soca com força nessa bucetinha, vai.
– Caralho, tá apertadinha e eu não tô aguentando de tesão.
– Não goza ainda, tá gostoso demais.
– Com essa bucetinha molhada é impossível não gozar. Deixa eu encher ela de porra, vai safada.
Sem aguentar por muito mais tempo, ele diz que vai gozar e começa a urrar de prazer.
Eu me masturbo e gozo juntinho, em um delicioso êxtase incestuoso.

Mas eu ainda não estou satisfeita e ajudo a limpar a porra com um boquete gostoso que faz o pau dele ficar duro de novo. Esfrego minha bucetinha na cabeça e começo a sentar. Ele, chupando meu peito, diz que eu sou a mulher mais gostosa que ele já viu, que ele sempre quis me comer e que já tinha gozado muito pensando em mim. Essas palavras me levam à loucura e eu digo que sempre desejei o pau dele dentro de mim, que não queria que a noite acabasse.
Me chamando de safada, ele pede pra colocar no cuzinho, dizendo que a partir de agora, o meu cuzinho seria só dele.

Com o tesão que eu estava sentindo, não pensei duas vezes e deitei de ladinho. Estava tão molhadinha que ele só colocou. Com muito cuidado, o pau dele foi entrando e ele foi socando devagar… Nós dois estávamos com um tesão incontrolável que não conseguíamos dizer uma palavra sequer, apenas gemidos saíam da nossa boca. Fodendo meu cuzinho e segurando meu peito, ele goza gostoso pela segunda vez, e tirando com cuidado, diz que eu sou a mulher mais gostosa do mundo.

One Comment

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.