Me fazendo gozar no meio do casamento

Era o dia do casamento da Clara e do Vitor. Lembro que eu estava usando um vestido de seda cor de pele e ligeiramente curto, o que fez Rodrigo logo vir com aqueles seus discursos machistas dizendo que eu estava querendo chamar mais atenção que a noiva. Ai que raiva!! Fato é que, eu visto o que eu quero! Coloquei uma sandália de salto e só pra provocá-lo usei aquela correntinha que Seu Francisco havia me dado.

Chegamos à igreja e enquanto subia os degraus da escada e notei que, talvez, eu realmente tenha exagerado um pouco no tamanho do vestido kkk. Notava pelos os olhares safados dos homens e pela fúria de suas esposas. Rodrigo emburrado não disse nada, mas eu sabia que ele estava bravo. Depois de cumprimentar alguns amigos nos sentamos no último banco, cruzei minhas pernas e vi naquele momento o Padre quase cair pra trás no momento em que passou por ali. Ele parou, veio nos cumprimentar e claro que eu sabia muito bem o porquê. O safado nem disfarçava e pior, o Rodrigo percebeu e eu amei aquilo! Kkk Nossa, como amo deixar ele furioso quando ele me irrita.

Com meu braço envolto ao de Rodrigo aguardamos o início da cerimônia, eis que ao olhar em direção a porta vejo Seu Francisco. Ele trajava uma camisa branca simples, calça social e sapatos. Nossos olhares logo se encontraram, abri um riso sutil e ele veio em nossa direção.

Ele cumprimentou Rodrigo e depois olhou pra mim e dizendo – Que saudade de você Taiane… – e se inclinou pra me dar cumprimentar. E gente, preciso admitir uma coisa: só a presença dele com aquele cheiro de colônia me fazia ficar com a calcinha molhada! Quando ele me beijou, minha ousadia foi tamanha que eu permiti que seus lábios tocassem parcialmente os meus.

Sexshop

Vejo que está usando a corrente que eu te dei – ele disse sentando-se ao meu lado.
Ela é linda Seu Francisco, eu amo ela – respondi olhando-o nos olhos.

Ao meu lado o via inquieto olhando para minhas pernas e só para provocá-lo, certo momento descruzei minhas pernas e tirei minhas sandálias, ficando descalça. Sabia que ele era apaixonado pelos meus pés, pois quando estava em sua casa eu via como ele os olhava. Volto a cruzar as pernas deixando o vestido revelar até um pedaço minúsculo da calcinha branca.

Não demorou muito para que eu sentisse a mão de Seu Francisco deslizando devagar por minha coxa, me fazendo arrepiar. O safado descaradamente ainda fez meu vestido descer um pouco mais e apesar de não estar olhando eu calculava que minha calcinha deveria estar bem mais exposta naquele momento e aquilo me excitava muito pois tenho um lado exibicionista bem forte.

Rodrigo continuava a olhar pra frente, emburrado e me ignorando. Oh homem difícil viu! Mas ainda bem viu, pois assim Seu Francisco colocou sua mão aberta sobre minha coxa e a apertava com vontade enquanto as costas dos seus dedos roçavam em minha boceta por cima da calcinha.

A noiva entrou e todos levantaram. Seu Francisco tirou sua mão da minha coxa e eu me levantei. Assistimos à entrada da noiva e ela estava linda! E enquanto nossos olhares a seguiam pelo corredor fui surpreendida pela ousadia mais gostosa e inesperada que já vivi.

A mão áspera de Seu Francisco começou a alçar por entre minhas coxas, erguendo parcialmente meu vestido até que seus dedos começaram a friccionar minha boceta por cima da calcinha me deixando louquinha!. Eu raciocinava que poderia ter alguém atrás de nós, mas eu torcia para que Seu Francisco tivesse cuidado desse detalhe e confiando nele abri um pouco mais minhas pernas facilitando sua investida.

O safado colocou minha calcinha de lado e tão breve senti dois dedos, dois dedos! Deslizando sobre minha carne molhada. O sem vergonha só poderia estar querendo me fazer perder o juízo mesmo me penetrando daquela forma. Mas me mantive firme, porém minhas pernas inquietas denunciavam nossa sacanagem. Ele começou a estocar com mais intensidade e disfarçadamente eu mordia até minha mão fingindo estar emocionada pelo casamento. E foi assim que o safado me fez gozar dentro da Igreja! E quase, mas quase, soltei um gemido alto e bem gostoso ali.

A cerimônia estava seguindo para o final e Seu Francisco já tinha parado de me tarar e gentilmente ainda deixou minha calcinha no lugar kkkk. Em certo momento estávamos todos fora dos bancos, prontos para formar um corredor ao casal. Seu Francisco estava distante de nós, mas me olhava o tempo todo e eu tentava disfarçar. Parado numa porta na lateral da igreja, ele me fez um sinal sutil e eu prontamente entendi. Minutos depois falei com Rodrigo que precisava ir ao banheiro e me desvencilhei dele.

Passando por aquela porta, sai em um estreito corredor que dava para os banheiros. Um pouco a frente estava ele, Seu Francisco, me olhando com sua cara de tarado. Lá dentro da igreja o Padre recitava suas últimas palavras ao casal e engraçado, justamente no momento que ele começou a falar sobre fidelidade eu me encontrava nos braços de Seu Francisco beijando-o de língua ali no meio do corredor.

Dois dedos Seu Francisco… mas que maldade – sussurrei no seu ouvido. Ele apenas sorriu satisfeito e falou – Quero a sua calcinha, tira e dá ela pra mim – enquanto apertava minha bunda eu retruquei dizendo – Mas ainda iremos para o salão de festa.. – mas ele retrucou – Eu sei, é por isto mesmo, quero você lá sem calcinha…

Apenas sorri e subi um pouco o vestido, segurando a calcinha pelas laterais fui a deslizando por minhas coxas até sair em meus pezinhos e entreguei a ele. Estava ensopadinha! Ele cheirou-a na minha frente e emitiu um som que parecia um relincho de cavalo kkk em seguida guardou-a em seu bolso.

– Taiane eu sinto muito, mas não aguento mais… – me puxou pela cintura e me beijou com muito fervor. Em seguida, levando uma mão em minha cintura me fez entrar em um dos banheiros, estava até meio sujo. Encostou a porta, mas tamanho estava seu desespero que a porta acabou ficando entreaberta.

De costas pra ele ele subiu meu vestido e logo socou seu pau em minha boceta. Ahnn que delícia! Ali não consegui me conter e soltei um gemido bem gostoso que rezava pra ninguém ter ouvido. Ele começou a me comer com tanta força que fazia meu corpo arquear me levando a loucura! Metia com muita intensidade, suas mãos em meus seios apertava-os com vontade.

Me segurando nas paredes rebolava em seu pau provocando-o. O medo de sermos pegos só aumentava ainda mais o meu tesão.

E assim foi até ele explodir gozando dentro de mim e me fazendo gozar quase no mesmo instante, deixando minha bocetinha cheinha de porra. Ele rapidamente se ajeitou e disse que iria me deixar.

Mas ainda nos beijamos, trocamos uns amassos e ele então saiu. Precisei gastar um tempo maior para me limpar pois era muita porra dentro de mim, gastei todo o papel kkk Mas ainda bem que tinha né? Kkk

Ainda cheguei a tempo de ver a noiva jogar o buquê. Rodrigo não percebeu nada e seguimos para o salão de festas tranquilamente. Durante a festa, Seu Francisco não tirou os olhos de mim, sempre a distância e com aquela sua cara de safado. Ai gente, agora eu, casada e apaixonada pela rola um senhor de quase 70 anos. Bom, nunca perguntei sua idade, mas olha, é certo que ele dá mais no coro que muito novinho por aí kkk

O que vocês acharam?

[email protected] Com

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.