Meu sócio ficou bêbado, eu comi a mulher safada dele

Na época do ensino médio já tinha ficado com a Danny, linda, baixinha, cabelos loiros e castanho claros, seios médios, bunda grande, e muito, mais muito gostosa, mas nunca passou de beijos e amassa-os, fui morar no exterior onde fiz faculdade e retornei depois10 anos, ela já tinha se casado com William, que já era meu amigo antes e se tornou meu sócio abrindo junto comigo uma corretora de seguros.
Depois de dois anos de negociação com uma empresa de médio porte de 800 funcionários que nos renderia uma comissão de 7 dígitos, fechamos o negócio! Eu e o William saímos para comemorar, eu não sou muito de beber tomei Whisky com água de coco moderadamente, já ele perdeu as contas de quantos doses de whisky e tequila ele tomou, ou seja, ele ficou muito bêbado, eu não podia deixa-lo dirigir na aquela situação, o levei até a sua casa e quando abri a porta, Danny estava sentada no sofá, e estava usando um baby-doll preto com a parte de cima transparente que dava de ver os biquinhos dos seus peitos, e uma cara de poucos amigos:
– Bonito hein, isso é hora de chegar em casa William pensei que nós íamos comemorar, e chega em casa bêbado!!!!
Ele já tinha desmaiado e nem respondeu, coloquei ele no sofá e disse:

– Danny me desculpa, nos saímos para beber com o pessoal e perdemos a noção da hora. – É.… bom já vou indo!
– Espera! Me ajuda a levar ele para a cama?
– Sim, peguei ele no colo e fui subir as escadas para o quarto deles, ela foi na frente e por baixo do baby-doll estava com uma calcinha fio dental preta, que me deixou levemente excitado… coloquei ele na cama.
Então ela disse:
– Me ajuda a tirar a roupa dele?!
Fiz isso, e ela tirando a roupa dele, ficou perfeitamente de 4, não sei se de proposito, mas deixou a sua bunda inteira a mostra, eu tendo uma visão privilegiada que deixou meu coração acelerado e preocupado pois me fez lembra de 10 anos atrás onde eu tinha aquela maravilhosa em minhas mãos, mas hoje ela é mulher de meu amigo e sócio, me controlei e disse:
– Bom está entregue seu marido, acho que…
Ela interrompeu:
– É… Rodrigo, não é a primeira vez que isso acontece. Tínhamos planos para hoje à noite, mas parece que ficarei na mão…
Ela sorriu, mas não olhou para mim.
Descemos as escadas até o primeiro andar. Eu estava atrás, e me lembrei mais uma vez o quanto essa bunda era maravilhosa, eu notava isso a cada passo e mexida do seu quadril. Me insinuei que iria partir, mas ela mordiscou o lábio inferior e disse:
– Rodrigo, eu acho que… Hãm… vai ter, quer dizer, a previsão disse que ia ter um temporal, não sei se seria bom você ir agora, e sabe… O Will ficará dormindo até o meio-dia. Fazia algum tempo que não ficava próximo da Danny, pelo menos o suficiente para ouvi-la falar, pois William sempre comandava a conversa nos jantares. Você se lembrou que ela nunca foi muito inteligente
– Eu vou colocar um filme, Hãm, perto da 1h têm umas coisas legais e traz o vinho se for ficar. Ela senta no sofá e liga a TV bem baixinho…
Sempre achei que a Danny não bebia, até que secamos uma garrafa de vinho e ela me pediu para buscar mais na cozinha. Embora eu estivesse com dúvidas em ficar na casa do William, essas foram embora quando voltei para a sala e me deparei com a visão da Danny de joelhos, de 4 para falar a verdade e movendo aquela grande bunda de um lado para o outro.
– O que está fazendo? – Perguntei. Mas, logo que as palavras saíram da minha boca, me senti um idiota.
– Sou uma cadelinha. E estou balançando meu rabinho… eu não conseguia saber o que se passava em seu rosto… – SUA cadelinha.
Meu pau estava duro desde o momento que começamos a beber e conversar, me decidi que à tocaria, e o volume da minha calça tocou a calcinha dela, de forma certeira, onde deveria entrar. Rapidamente ela te envolveu com as pernas e te derrubou para o lado, sendo que você ficou com a cara nos longos (e agora desgrenhados) cabelos loiros e castanho claros.
– Hm. Ah, eu… disse que devíamos ver um filme, e tem um começando agora… Hihi – era Cisne Negro.
Ela se deitou de barriga para baixo, com as pernas para o seu lado e o belo e grande traseiro para cima
– Infelizmente não temos nada legal para fazer. A não ser olhar o filme… Hã, bem… – Ela começou a esfregar os pés no meu pau horizontalmente…
a TV estava bem baixinha, mas mesmo assim ouvia o ruído dela, ela não disse mais nem uma palavra, apenas rebolava, e alisava meu pau, aquilo estava me deixando muito excitado, mas a consciência estava pesando, era errado aquilo, William é um grande parceiro e pesando nisso vinha um flash back dos negócios que partilhamos juntos, do início da correria até os dias atuais gloriosos, de repente toda aquela imagem se apaga com a imagem daquela bunda a qual comecei a apertar, via a oportunidade de saciar meu desejo que tinha por ela no passado, tirei as calça e subir encima dela e comecei a sarrar, e ela rebolava ainda mais no meu pau já desnudo – e a voz do meu interior, ok! Da minha cabeça de baixo, dizia – aproveite!
Coloquei a sua calcinha de lado, e comecei a pincelar meu pau na bucetinha que já estava bem molhada, e cai de boca naquele traseiro pois queria sentir seu gosto, é era muito gostoso, passei minha língua em seus grandes lábios e fui subindo até seu cuzinho a deixando toda arrepiada! Ela nada dizia, apenas gemia. A penetrei bem devagarinho com muita delicadeza e carinho, mas, sua xaninha estava quente como brasa parecendo que ia derreter meu pau, em seguida começou a escorrer seu melzinho, ela tinha gozado a primeira daquela noite… isso elevou meu tesão a mil e comecei a bomba mais forte e rápido, indo até no fundo com força e virilidade, fazendo ela gemer mais alto e dizendo:
– Vai devagar seu cachorro, você não quer acordar o corninho né, safado!
– Traindo seu marido, sua vadia! Fiz ela ficar de 4 dei umas 4 palmadas, duas de cada lado ficando vermelho em seguida…
– Olha quem fala, comendo a esposa do sócio e do melhor amigo… ela dizendo isso multiplicou o tesão que a havia em mim e meti mais forte naquela buceta farta, mas, apertada!
– Ah, ah, ah… Ouch, ouch – Ela gemia cada vez mais alto e isso me preocupava, entrelacei uma das minhas mãos em seu cabelo, puxei como uma rédea e com a outra tampei-a sua boca e seus gemidos começaram a sair baixinho e abafados, e o som ambiente logo se tornou apenas a chuva e a batida dos nossos corpos. Estava liso demais, e o pau escorregou para fora algumas vezes, mas, ela o colocava de volta
– Hmpft, você é um ogro Rapha… ela me fez parar, e empurrou a tua bunda até a minha virilha que ficou bem coladinho nas suas nádegas, e se mexeu em movimentos curtos
– Ouuuuu, seu puto.
Quando aumentei a velocidade, ambos se aproximavam do clímax, ela começou a fazer um barulho que parecia um choro. Gozamos juntos, e meu pau ficou latejando dentro dela por alguns segundos até finalizar, até hoje foi uma das minhas melhores gozadas… sai de cima dela e me sentei ao lado com as mãos na cabeça, – que merda eu fiz… em seguida ela pulou em cima de mim e disse:
– Rodrigo, você é um idiota imbecil mesmo… por quê gozou dentro?!Ela soltou algumas latidinhas baixas, mordeu a tua orelha e mordiscou várias partes. Ela apertou forte a base do pênis, junto ao saco, e fez um movimento para cima, até chegar na cabeça e sugar o resto de esperma que havia, e sua mão deslizou, devido a umidade da mesma, o que fez sentir uma dor misturada com arrepio devido à sensibilidade do local.
O dia já estava amanhecendo, ela disse para eu dormir ali e ficar à vontade, e subiu para seu quarto. Mas, e eu fui embora logo em seguida.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.