Papel de namorado com minha cunhada

Uns dias atrás passei um sábado com minha cunhada, Flávia, fazendo loucuras como se fossemos namorados em começo de relação. Sabe aquelas coisas excitantes, situações de tesão puro que beiram loucuras. Pois é, fizemos e foi muito bom, a excitação, o perigo algumas vezes e o desejo de sexo, de agradar o outro e se agradar nos proporcionou um sábado perfeito.

Tudo começou com minha mulher indo para a casa da minha sogra no litoral de SP. Ela foi junto da minha filha pois pegou uns dias de folga e era início de férias da pequena.

Como eu trabalhei na sexta a noite e trabalharia no domingo não quis ir passear.

Sexshop

Cheguei no sábado de manhã e descansei até por volta da 11 horas, fiquei pensando o que eu faria no restante do dia, já que ficaria sozinho o dia todo.

Eu achei que minha cunhada tinha ido para para o litoral também mas ela não foi e mandou uma mensagem, ela me perguntava se eu toparia dar um rolê. Claro que topei e ela me disse para me arrumar que íamos almoçar fora.

Ela trabalha em uma empresa importante e é muito bem remunerada, isso faz com que ela frequente bons restaurantes e baladas que eu não costumo frequentar.

Ela me levou em um restaurante muito bom na Rebouças, um lugar maravilhoso bonito, elegante e percebi que ela parecia conhecer muitas pessoas, funcionários e até clientes.

Falei para ela se ela frequentava muito lá e ela confirmou que sim. Disse para ela que tinha ficado preocupado de pegar mal para ela pois ela tinha namorado, ela só me respondeu para não me preocupar que eu teria uma surpresa.

Pedimos nossos pratos e ficamos “namorando”, passadas de mão, beijos e aquela tensão sexual no ar.

Saímos de lá e foi aquela pegação até o carro chegar. Fui entrar no do lado do passageiro, como sempre, mas ela pediu que eu dirigisse.

Ela pediu que eu fosse para a avenida Paulista que queria ir numa loja comigo, começamos a subir a avenida e ela começou a passar a mão no meu pau, e falar sacanagens que queria fazer comigo.

Como ela estava com uma saia um pouco comprida e uma blusinha apertada, ela começou a levantar a saia para mostrar sua calcinha rosa bem clarinha e que só cobria aquela buceta maravilhosa, e peladinha. Meu pau só ficava mais duro e ela apertava. Pediu para eu tirar para fora para me masturbar, não pude negar esse pedido.

No primeiro farol que chegamos ela queria me chupar, falei que ela estava louca, quase 3 da tarde e ela querendo essa loucura. Ela começou a apertar o meu pau e disse que ia acabar abocanhando meu pau. E não teve jeito, no outro farol ela abaixou e começou a me chupar, e eu fui a loucura pq já havia feito isso mas era noite, e um lugar mais isolado. Fiquei ali delirando, e ela ali sem nem querer saber de mais nada.

Quando dei por mim tinha um ciclista com a cara quase colada no vidro do carro, ela percebeu e nem ligou. O farol abriu e logo estávamos na loja que ela queria.

Estávamos num sexshop. Uma lugar muito discreto, com muita coisa e com poucas pessoas. Perguntei o que ela iria comprar e ela disse que não ia comprar, só ia buscar. Um rapaz chegou já chamando ela pelo nome, os dois se cumprimentaram de beijinho. Só não fiquei desconfiado pq percebi que o rapaz era gay. Ele saiu e voltou com uma caixa grande, perguntei se era tudo para aquele dia, ela respondeu que não, que algumas coisas eram para ela mesma. Quando ela disse isso perguntei se o namorado dela sabia que ela usava aquilo tudo.

Foi nessa hora que ela disse que a surpresa era essa, ela tinha terminado o namoro, na verdade ele terminou e que aquelas coisas todas era para ela se divertir a hora que estivesse sozinha.

Falou que ele tava muito desconfiado dela pois sabia que ele não satisfazia ela sexualmente, já que tinha o pau muito pequeno.

Passado tudo isso ela disse que queria ir num parque pq queria fazer uma loucura de transar num lugar aberto. Na hora topei e fomos para um parque próximo de casa. Entramos com o carro no estacionamento e já começamos a nos pegar. A vaga onde o carro estava era um pouco isolado e começamos realmente nos empolgar de uma maneira louca. Empurrei o banco para trás ela subiu no meu colo e começou e se esfregar bem e gemer. Levantei a blusa dela e comecei a mamar naqueles seios lindos que ela tem e eles durinhos, o dia já está começando a escurecer e eu ali mamando nela e subindo a sua saia e meti a mão naquela buceta que estava muito molhada, puxei a calcinha de lado e enfiei um dedo nela, ela gemeu muito e encostou sua cabeça no meu ombro, e apertava meus ombros com suas mãos, eu masturbava ela e beijava seu pescoço, coma outra mão apertava seu seio.

Ela começou a movimentar muito seu quadril e empurrar sua buceta pelada e molhada na minha mão e gozou, gozou muito gostoso e meu pau explodindo na calça.

Ela toda ofegante foi escorregando para o lado e do banco do passageiro colocou meu pau pra fora e começou a me chupar muito gostoso, fazia movimentos circulares com a língua, lambia da base até a cabecinha, apertava minhas bolas e massageava de um jeito maravilhoso. Eu ali delirava e apertava seus seios lindos e puxava a cabeça dela para eu beijá-la.

Do nada ouvimos uma batida no vidro e vimos que era uma segurança do parque, uma moça de meia idade. “apesar de ver que estava muito gostoso aí vou ter que pedir para os dois pararem, tem muita família por aqui.”. Demos risadas e saímos.

Íamos para a casa dela mas ela quis ir a um motel, e que lugar maravilhoso, tinha sauna, cachoeira, hidro e até o teto abria.

Eu ali com ela começamos a nos beijar e a fazer carinho, ríamos do que aconteceu. Fomos tomar um banho e começamos a nos lavar, ela esfregava meu pau, ensaboava ele, minhas bolas e até meu cuzinho, me lavava bem direito e lambia meu pau com mestria. Eu já estava louco para gozar, tava o dia todos na putaria e não tinha gozado. Ela me puxou pelo pau e fomos para hidro, que já estava enchendo, entrei primeiro e ela entrou em seguida e já sentou no meu pau. Disse que morria de tesão em dar na hidro, espalhando água por todo lado cada vez que sentava, e gemia muito. Comecei a enfiar um dedo junto na sua buceta e masturbava ela. Ela deu um gemido tão alto e comprido para gozar que me fez querer gozar também, ela pediu para eu ficar e pé e gozar na sua boca. Dessa vez ela não precisou chupar muito, anunciei que ia gozar ela tirou meu pau e pediu para gizar no rosto igual em filme porno, falou que queria se sentir puta.

Comecei a jorrar e caiu no olho, na boca no cabelo, foram dois jatos bem fartos e depois mais um pouco. Ela lambia meu pau, passava a mão no rosto, no cabelo e me chupava mais. E sempre se masturbando.

Que delicia de gozada, fomos mais uma vez para o banho e lá transamos mais um pouco.

Ficamos no motel a noite toda, transamos muito mesmo, dormíamos um pouco mas sempre um acordava para chupar o outro. Saímos do motel às 14 horas do dia seguinte, usamos muitas coisas que ela comprou e até o consolo ela usou na minha frente.

Foi uma delícia. Ela me deixou em casa pois eu iria trabalhar a noite.

Ainda me excito de lembrar. Depois vou contar mais coisas sobre os dias com ela.

Espero que gostem e boa leitura.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.